Valor de mercado das empresas de construção dobrou no ano, mostra Economatica

As empresas do setor de construção com ações negociadas na bolsa de valores brasileira, a B3, dobraram seu valor de mercado desde o início do ano, segundo levantamento divulgado nesta segunda-feira (25) pela Economatica.

Em dezembro de 2018, as ações das 11 empresas do setor negociadas em bolsa somavam R$ 20,965 bilhões. Em 21 de novembro, esse valor era de R$ 42,437 bilhões.

Na mesma data, a Cyrela tinha o maior valor de mercado entre as 11 empresas, de 10,583 bilhões, seguida pela Eztec, com R$ 9,97 bilhões, e pela MRV, com R$ 7,79 bilhões. O levantamento mostra, no entanto, que todas as empresas tiveram alta no valor de mercado.

O maior crescimento percentual foi o da Trisul, de 332%, cujo valor de mercado passou de R$ 599 milhões no final de 2018 para R$ 2,59 bilhões em 21 de novembro deste ano.

Alta nos lucros

O crescimento do valor de mercado das empresas veio na esteira do aumento da lucratividade do setor. No terceiro trimestre deste ano, as incorporadoras tiveram lucro combinado de R$ 434 milhões, no quarto trimestre consecutivo de melhora nos resultados, depois de uma sequência de perdas.

A MRV foi a empresa mais lucrativa no 3° trimestre de 2019 com R$ 160,1 milhões, seguida pela Cyrela Realt com R$ 104,3 milhões. Apenas três das onze empresas da amostra registram prejuízo no 3° trimestre de 2019, sendo o maior registrado pela Tecnisa, de R$ 52 milhões.

Fonte: G1